Coelho Dizeres Computador
[X] Fechar

Já conhece a NewsLetter do CoelhoDePrograma? Clique aqui e assine!

Só demora 30 segundos para se cadastrar e você recebe nossas notícias por email!

[X] Fechar

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Meu vício é correr apresenta: Sérgio Alves
Whats Email Mapa de imagens. Clique em cada uma das imagens

segunda-feira, 29 de abril de 2019 - 09:20
serjao maratonistaBom dia, galera!

Todo mundo que já se preparou para uma maratona, sabe a dureza que é: treino em cima de treino, fechar a boca, não perder o treino de força... ufa!

Pois é, hoje tiro a poeira da seção "Meu vício é correr", trazendo pra vocês uma história maneiríssima, de cara que além de um excelente amigo, é um grande corredor: Sérgio Alves, que tive a honra de conhecer através do CEFAC.

Serjão completou, dia 21 de abril, sua a primeira maratona, realizando, assim, um sonho antigo!

O bicho é tão bruto que escolheu a gangorra de Brasília (que nego jura que é plana mrgreen) pra estrear!

Bom, chega de enrolar! Deixo vocês com a história massa do Serjão!
Demorou, mas valeu a pena...

Ao longo de quase 10 anos tinha um imenso desejo de realizar a maratona, mas por motivos e outros não conseguia encaixar essa distância em meus objetivos. Mas acredito que foi permissão de Deus, me preparando para tal sonho.

Realizei várias corridas de meia maratona – trilhas – corridas de rua – corrida de morros – mas sempre pensado em que dia chegará a maratona.

Eu respeito longas distâncias, por isso antes de se aventurar tem que estar preparado. Maratona exige respeito!

Pois o importante é chegar bem, inteiro e não dizer "como sofri", mas pensar "fui bem demais!". O sentimento de concluir a primeira maratona é indescritível. E trocar o seu sobrenome pelo título de "maratonista" e mais ainda.

Para isso segui com sucesso uma a regra fundamental: treinar, treinar e treinar.
Comecei a treinar em janeiro e não queimei etapas. Planejei meu próprio treino com dicas importantes de amigos (atletas e treinadores) a partir daí segui com as etapas.

E com os treinos vieram também as dores, os desgastes e a fadiga, mas é com elas que aprendemos, os desafios, mas como boa parte do treino também estava incluída a alimentação e o descanso como aliados, tudo fez parte.

Tudo foi organizado: roupa, tênis, gel, água, sal e isotônicos, para que eu chegasse no momento em boas condições.

Quem me acompanhou sabe que foram árduos os trabalhos, e entende a minha saga, desde o início, foquei, me dediquei ao máximo, disciplina e principalmente me sacrifiquei.

Por isso, posso dizer com orgulho: Venci, ganhei, completei, e agora desfrutarei.

As dificuldades

Os treinos foram difíceis, com dor, sem contar as lesões que surgiram. Vários longões, sob sol, frio e chuva, terminava me arrastando, mas não desistia, algo lá dentro me dizia para persistir, mesmo com dor. Completei a planilha com alguns treinos perdidos, mas com a maioria muito bem-feita.

Fui ao médico, apareceram vários sintomas que se dependessem dele (medico), já tinha desistido.

O grande dia

Estava um pouco nervoso, porém focado. Minha imunidade baixou, dois dias antes adoeci, acabei apelando para os remédios e me mantive em concentração. No grande dia estava bem melhor, mas ainda em recuperação.

Iniciei a prova com o ritmo de 5:00 min/km (não como tinha planejado), estava bem ritmado. Me senti bem e que era meu dia.

No km 10, continuava bem, mantive o pace, os quilômetros passavam e eu continuava bem.

No km 21, ainda dentro da expectativa, continuei firme, até que chegando próximo ao km 25, senti uma tonteira. De imediato, reduzi a velocidade, lembrei-me das capsulas de sal. Tomei e segui a passada, porém com o ritmo reduzido.

No km 30, já começando a demostrar cansaço, comecei a reduzir o ritmo, caindo para 5:30/min e assim me mantive, bebendo muita água, gel e isotônico.

No km 34, a situação ficou pesada: uma subida de 6 km. Foi aí que o corpo sentiu, então resolvi reduzir para chegar bem, o pace caiu para 6:30/km e assim permaneci, as pernas ainda estavam inteiras, respiração controlada.

No km 40, percebi que o corpo ritmou e consegui aumentar as passadas, conseguindo cruzar a linha de chegada com um sprint final de 5:00/min por km, fechando a minha primeira maratona em 3h59.

Conclusão: Satisfação pessoal, dever cumprido, prazer enorme de dizer eu consegui.

Agradecimentos

Agradeço a Deus, primeiramente por me permitir essa façanha.
À minha família, em especial à minha esposa.
A todos que em volta de mim fizeram parte desta conquista e mesmo que indiretamente torceram para isso

Por fim, deixo algumas dicas para os que anseiam realizar uma maratona: Siga a sua planilha de treinos, sua alimentação, fortaleça o seu corpo, hidrate-se e descanse, pois só assim terá sucesso.

Fonte: Coelho de Programa

Leia mais sobre: maratona, motivação, resiliência, superação

Assine a NewsLetter do CoelhoDePrograma e não perca mais nenhum artigo!

Gostou da matéria? Comente logo abaixo! mrgreen

Copyright - Marcelo Coelho