Parceiros
[X] Fechar

Já conhece a NewsLetter do CoelhoDePrograma? Clique aqui e assine!

Só demora 30 segundos para se cadastrar e você recebe nossas notícias por email!

[X] Fechar

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

A síndrome de lesões pós-pandemia
Whats Email Mapa de imagens. Clique em cada uma das imagens

quinta-feira, 1 de outubro de 2020 - 08:22
injuried runnerE se de repente você tivesse o dobro do tempo para treinar? O que você faria? Não quero ser estraga-prazeres, mas você provavelmente se lesionaria.

Esse foi o consenso entre um grupo de quatro podólogos renomados que tive o privilégio de entrevistar em seu podcast RPM2 na semana passada. Matt Werd, da Florida Foot and Ankle, diz que viu mais fraturas por estresse, fascite plantar, problemas no tendão de Aquiles e outros do que o normal desde o início da pandemia. "As pessoas ficaram presas em casa, sem ir para o trabalho, então tinham tempo extra sem os dois deslocamentos para o trabalho. Não só as pessoas que nunca se exercitaram, até as mais experientes agora tiveram tempo para treinar mais, ir mais rápido, fazer coisas novas. Eles aproveitaram a oportunidade para treinar mais forte, fazer mais", diz Werd.

Claro que estamos treinando mais, pois não só agora temos o tempo que sempre quisemos, mas também temos esse nível enorme de estresse que exige que ajamos. Os corredores sabem como usar esses hormônios do estresse: vamos intensificar o treino.

Michael Chin, do The Running Institute em Chicago, viu os resultados desse excesso de energia. "As pessoas estão fazendo mais trabalho de velocidade, tentando misturar as coisas. Elas estão fazendo mais do que corridas mais longas, misturando exercícios intensos a isso", diz ele. Tudo isso é bom, variar ritmos e intensidade é uma forma inteligente de treinar. Entretanto, Chin continua: "E eles não estão dando uma folga. Eles têm sete dias por semana para treinar e não levam em consideração seu ponto de recuperação". O resultado? Mais lesões por uso excessivo.

Chin viu outros que seguiram o caminho oposto: não fazer nada por 3 meses, ganhar peso extra e depois voltar descuidadamente. O aumento de maratonas virtuais neste outono, muitas vezes com pouca antecedência, também não ajudou no índice de lesões.

As lesões aumentaram não apenas porque os corredores estão exagerando em volume e intensidade, mas também devido ao fato de não conseguirem sair para correr, diz Paul Langer, da Twin City Orthopaedics. "Não apenas as academias foram fechadas, mas as lojas de calçados também. Portanto, ou eles não puderam substituir os tênis de corrida que estavam gastos ou não podiam obter tênis específicos para corrida. Algumas das lesões que vi foram porque seus tênis não eram apropriados para correr os 3, 5, 7 dias consecutivos que algumas pessoas estavam começando a fazer", diz Langer.

Langer também está vendo pessoas com os pés doloridos, pois não estavam preparadas para andar descalças o dia todo em casa. "Sou fã de ficar descalço", diz Langer, mas observa que você precisa preparar os pés para isso, preparação que também fortalecerá sua base para correr.

Rob Conenello, da Orangetown Podiatry em Nova York, também tem visto sua cota de lesões por uso excessivo e por trabalhos transitórios, incluindo algumas lesões surpreendentes de pessoas sentadas de maneira diferente o dia todo: em camas, sofás, cruzando os pés sob eles de maneira incomum.

Entretanto, Conenello também é estimulado por algumas tendências. "Tenho visto muitos pacientes que chegam preventivamente. Eles estão dizendo: 'antes de eu começar, o que devo fazer? O que não devo fazer?’". Chin também viu corredores "tentando consertar problemas de longa data, como uma história de dois anos de dor no calcanhar que eles não conseguiam deter. Essas pessoas agora têm tempo para poder tratá-los", diz ele.

O que nos leva ao ponto: onde quer que você tenha acabado na reação da corrida à pandemia, enfrentou tensões adicionais. Se você estiver lesionado (estou nessa lista), agora é a hora não apenas de curar, mas também de consertar os problemas que causaram a lesão, porque quando você voltar, ainda vai precisar trabalhar duro para lidar com os problemas decorrentes do estresse do mundo de hoje, e, porque, convenhamos, você quer correr rápido e por muito tempo. Se você não está lesionado, parabéns, agora é a hora de gastar algumas de suas horas extras fazendo o trabalho de mobilidade e força para se manter correndo saudável e forte, não importa quais tensões você enfrente ou que desafios aceite.

Para começar, escolha qualquer uma das rotinas de exercícios em nossa seção de prevenção de lesões e pratique-as regularmente. O trabalho não é tão satisfatório, salva a sanidade, alimenta a alma, ou simplesmente não é tão divertido quanto uma corrida, mas espere algumas semanas e você começará a sentir um progresso gratificante em equilíbrio e força de suas passadas. Além disso, embora nunca seja um bom momento para se lesionar, imagine a vida sem correr agora, quando você precisa de motivação para reservar uma hora para alongamentos dos flexores do quadril ou trabalho de força dinâmica.
Traduzido do site PodiumRunner.com

Fonte: PodiumRunner.com (traduzido por CoelhoDePrograma)

Leia mais sobre: lesão, coronavirus

Assine a NewsLetter do CoelhoDePrograma e não perca mais nenhum artigo!

Gostou da matéria? Comente logo abaixo! mrgreen

Copyright - Marcelo Coelho