Coelho Dizeres Computador
[X] Fechar

Já conhece a NewsLetter do CoelhoDePrograma? Clique aqui e assine!

Só demora 30 segundos para se cadastrar e você recebe nossas notícias por email!

[X] Fechar

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Os segredos dos corredores de longa data
Whats Email Mapa de imagens. Clique em cada uma das imagens

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019 - 10:19
corredor seniorPesquisas mostram que a maioria dos corredores quer continuar ativa pela vida toda. E deveriam, considerando os benefícios físicos e mentais já consagrados da corrida. Ao mesmo tempo, o esforço pode parecer assustador. E quanto à motivação, família, carreira, lesões, exaustão e muito mais?

Nos últimos seis meses, reunimos informação mostrando que os corredores de longa data persistem através da adaptação, aceitação, continuando a disputar provas, estabelecendo metas razoáveis, construindo amizades e simplesmente se recusando a desistir. Esses traços aparecem de novo e de novo nos mais de 50 perfis que publicamos no LifetimeRunning.net. Cada perfil apresenta um corredor com pelo menos 60 anos de idade e que está na corrida há pelo menos 30 anos.

Aqui está uma lista de seus segredos e alguns dos pensamentos deles sobre cada um:

Adapte-se e aproveite

Nenhum corredor permanece o mesmo em todas as fases da vida. O relógio e o calendário nunca param de funcionar. Ficamos mais rígidos, mais lentos e ... basta! No entanto, os corredores da vida não desfocam. Em vez disso, eles geralmente olham para o lado mais brilhante.

Bob Anderson fundou a revista Runner's World em 1966, quando era adolescente, no Kansas. Hoje, aos 71 anos, ele ainda está forte. "A idade é apenas um número. E mesmo que o número esteja ficando maior, não deixo que me diga o que posso ou não fazer. Nós só vivemos uma vez, então por que não aproveitar ao máximo? Correr ajuda a adicionar significado a todos os dias", diz Anderson.

Aceite que coisas ruins acontecem

Todo corredor sabe sobre lesões. Os corredores de longa data entendem que enfrentarão desafios maiores. Um par de anos atrás, Don Ardell pensou que estava tendo um bom treino (para um homem de 78 anos). Logo após, viu-se sentado na calçada, sangrando. Os transeuntes chamaram uma ambulância. No hospital, Ardell descobriu que sofrera um derrame.


Ele vem tomando anticoagulantes desde então e treinando cautelosamente. "Eu sempre vivi feliz e resolvi ser cuidadoso e ter esperança de boa sorte", observa ele. Aos 80 anos, Ardell não resistiu a entrar em um punhado de provas. E ganhou todas elas.

Continue disputando provas

Muitos corredores de longa data se motivam continuando a disputar provas. Claro, fica cada vez mais difícil de igualar os tempos do ano passado. É aí que classificações por faixa etária vêm em socorro. Reno Stirrat está na corrida há 50 anos e é o único americano a ter uma maratona sub-2:45 em cinco décadas seguidas.

Agora com 64 anos, Stirrat parou de tentar bater seus antigos recordes pessoais, mas ainda persegue a excelência. "Não fico preso a momentos. O interessante é que você ainda pode bater recordes pessoais nas faixas etárias.", diz ele.

O mesmo se aplica aos seus esforços diários de treinamento. Eles tendem ao declínio, tanto em quantidade como em qualidade. Então, Sabra Harvey, 69 anos, mudou o foco para a consistência ao invés de velocidade. "Vejo o treinamento como uma forma de manter um alto nível de condicionamento enquanto continuo competindo em eventos masters regularmente", diz ela. Sua abordagem está funcionando. Ela foi nomeada como a USATF Masters Road Runner do ano de 2017.

Mais devagar? E daí?

Em 1980, Benji Durden foi um dos melhores corredores de maratona da América, classificando-se para a equipe olímpica de 1980, embora o boicote dos EUA o tenha impedido de competir em Moscou. Vários anos depois, ele terminou em terceiro na Maratona de Boston, estabelecendo um recorde pessoal de 2:09:58. Agora com 67 anos, Durden adotou uma nova mentalidade, que o mantém nas estradas. Ele detém o recorde de mais anos entre vitórias maratonas - 40 anos, 292 dias - tendo vencido maratonas em 1977 e 2017.

"Costumava correr muitos quilômetros num ritmo entre de 4:00 a 4:20 minutos por km. Hoje em dia é entre 6:10 e 7:20. Eu apenas digo a mim mesmo para esquecer isso.", observa ele.

Seja social

Corredores de longa data gostam de ver os amigos em todas as oportunidades - provas, grupos de treinamento, reuniões de assessoria e muito mais. "Os corredores são mais felizes com outros que compartilham seus interesses, incluindo teatro, música, comer fora e outras atividades", observa o Dr. Gabe Mirkin, 83, um conhecido autor e colunista de fitness.


Como chefe de longa data da Runner's World, Bart Yasso provavelmente participou de mais corridas do que qualquer um. E ele nunca se cansou da rotina. "Eu adorava ver novos e velhos amigos em eventos. Nós nos unimos e nos apoiamos mutuamente.", diz ele.

O ex-campeão de maratona Bill Rodgers, vencedor da Maratona de Boston por 4 vezes e da Maratona de Nova York, concorda com Yasso. "É ótimo ver amigos em corridas, mesmo que apenas uma vez por ano. Todos nós compartilhamos a mesma paixão pela corrida, independentemente de nossa idade ou de nossos tempos", diz ele.

Aprecie o lado mental

Muitos corredores de longa data começam a jornada com a esperança de preservar seus corpos o maior tempo possível. A cada ano que passa, eles parecem pensar mais no cérebro, especialmente com o Alzheimer e o declínio cognitivo nas manchetes diárias. O advogado Hal Lieberman está concorrendo há 60 dos seus 76 anos. "Como litigante ativo, a corrida me mantém mentalmente e fisicamente saudável.", observa ele.

Nunca pare

Diminuir o ritmo não é motivo para parar de correr. Sid Howard deteve recordes mundiais de masters na pista e terminou 35 Fifth Ave Miles consecutivas. Aos 79 anos, ele não está ficando mais rápido, mas continua forte, particularmente de espírito. Ele espera ainda estar disputando provas aos 100 anos e além.

"Minha última corrida terminará no caixão. Vou pular dentro e fechar a tampa, sabendo que vivi uma vida plena.", diz ele.

Se isso soa muito mórbido para você, considere o neurocientista da Filadélfia Brian Salzberg, 76 anos, que correu cada corrida em Falmouth. São 46 ao todo. Nem todas foram fáceis: Salzberg terminou Falmouth duas vezes após uma cirurgia no cérebro e uma vez com muletas após cirurgia na perna. "Em 2008, provavelmente estabeleci um recorde do curso de Falmouth, na categoria de muletas! Lembre-se sempre que cada corrida é um novo recorde pessoal! Você nunca foi tão velho antes.", ele brinca.

Valorize o presente. Cada. Dia.

Ficamos mais sábios e mais agradecidos à medida que envelhecemos? Esperamos que sim. Parece um traço comum entre os corredores de longa data. Carolyn Mather correu mais quilômetros que qualquer outra mulher no planeta. Ela ultrapassou recentemente a marca dos 349.00 quilômetros. Isso deu a Mather muito tempo para reflexão. "Tudo diz respeito à jornada. Você terá dias bons e ruins, mas se tornará mais forte e mais resiliente. Eu me concentro apenas em me mover na estrada.", diz ela.

Ellen Hart correu uma maratona em 2:35 pouco depois de se formar em Harvard em 1984, mas depois começou a mudar-se para os triatlos, continuando a focar a corrida. Ao longo do caminho, ela foi tema de um longa-metragem sobre anorexia e tornou-se esposa do prefeito de Denver, que se tornou membro do gabinete do governo Clinton. Sua vida foi mais do que cheia. "Eles são todos presentes - vida, corrida e envelhecimento. A corrida sempre foi minha melhor amiga, em parte porque me ajudou muito a lidar com tanta coisa!", diz ela.
Traduzido do site Competitor.com

Fonte: Competitor.com (traduzido por CoelhoDePrograma)

Leia mais sobre: sênior, master

Assine a NewsLetter do CoelhoDePrograma e não perca mais nenhum artigo!

Gostou da matéria? Comente logo abaixo! mrgreen

Copyright - Marcelo Coelho