Parceiros
[X] Fechar

Já conhece a NewsLetter do CoelhoDePrograma? Clique aqui e assine!

Só demora 30 segundos para se cadastrar e você recebe nossas notícias por email!

[X] Fechar

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Os pilares da resistência mental e como treiná-los
Whats Email Mapa de imagens. Clique em cada uma das imagens

segunda-feira, 11 de novembro de 2019 - 08:35
mental toughnessVocê não pode fingir ter resistência mental. Simplesmente não é algo que acontece magicamente ou que você pode, de alguma forma, evocar no quilômetro 32 de uma maratona. No entanto, como psicólogo do esporte, ouço muitos atletas falarem sobre como "vão fundo" para encontrar uma reserva de força mental quando as coisas ficam difíceis durante uma prova sem trabalhar nessa habilidade durante o treinamento.

Mas a resistência mental é um conjunto de habilidades e a execução sem prática raramente - se é que existe - funciona. A prática dessa habilidade deve ser incorporada ao seu ciclo de treinamento para que você possa acessá-la quando realmente precisar no dia da prova.

Então, o que é resistência mental?

A noção de resistência mental não é bem definida ou compreendida, mas ser mentalmente resistente é tudo sobre como reagimos quando começamos a nos sentir desconfortáveis ou a encontrar um obstáculo ou desafio. O como é que é importante. Existem vários fatores que contribuem para a resistência mental, mas, no centro, existem duas características chaves que definem: disposição e otimismo.

Disposição refere-se à inclinação que você tem para suportar, seja aceitando intensidade em nível físico ou determinado a manter seu nível de esforço por um determinado tempo ou distância. Disposição é ter autodeterminação para permanecer na experiência sem recuar ou desistir. Sabemos que nossa disposição varia com base em várias variáveis e, principalmente, muda em relação direta com a força e o significado de nossos objetivos. Estamos muito mais dispostos a tolerar um esforço árduo, se isso significa que finalmente obteremos aquele recorde pessoal, por exemplo.

O otimismo, por outro lado, é uma crença positiva sobre um estado futuro ou resultado desejado. O otimismo nos ajuda a preencher a lacuna entre o que estamos fazendo atualmente e como isso se relaciona com a consecução de nossos objetivos. Acreditar que nosso esforço atual nos ajudaráa nos tornarmos mais fortes, mais aptos e mais rápidos ajuda a nossa disposição a manter esse esforço durante o treinamento. Essa crença está presente no curto e no longo prazo. Confiar que você pode terminar o próximo intervalo em um simples treino é tão importante quanto saber que o treino atual o ajudará a atingir seu objetivo final no final da temporada. É fundamental acessar esse otimismo mais amplo durante o ciclo de treinamento.

Como criar resistência mental

Existem várias maneiras de praticar a habilidade de resistência mental, dentro e fora da corrida. Um plano de treinamento ideal terá uma variedade de ritmos, esforços e tipos de corridas ao longo dele. Os dias mais difíceis são projetados para evoluir seu sistema fisiológico e ajudá-lo a ficar mais forte, mais rápido e mais apto. Esses dias mais difíceis também oferecem uma oportunidade de trabalhar no desenvolvimento de uma plataforma de resistência mental que você poderá acessar mais tarde. Aborde estes dias difíceis com sabedoria e intencionalmente. Marque-os no seu calendário e planeje como os abordará mentalmente para garantir que você esteja aproveitando ao máximo os exercícios. Use estas quatro dicas ao embarcar em cada treino:

1. Conecte-se ao seu porquê.

Estamos muito mais dispostos a tolerar desconforto quando sabemos que isso está vinculado a um propósito significativo ou a um objetivo de longo prazo. Enquanto você se aquece, lembre-se do grande objetivo em que está trabalhando atualmente (talvez a maratona sub-4) e por que esse objetivo é significativo para você. Seja específico. Fazer isso à medida que você se acostuma com a corrida definirá o cenário para enfrentar o que está por vir. Com um forte porquê, você descobrirá o como. E resistência mental é tudo sobre como você suporta.

2. Encontre um caminho, não uma desculpa.

Entenda que a disposição e o otimismo são mediados pelo diálogo interno. Podemos ser realmente bons em convencer-nos dos próximos esforços mais difíceis antes mesmo de alcançá-los. Podemos negociar conosco mesmos em um esforço para evitar o desconforto. Esteja atento às mensagens em sua mente e perceba que você pode mudar seus pensamentos. Você pode usar o poder do diálogo interno para se envolver tanto na disposição quanto no otimismo durante todo o treino. Quando você começar a sentir desconforto, traga declarações positivas do tipo "primeira pessoa" à vida: "Estou disposto a continuar me esforçando. Eu sou capaz desse esforço. Estou otimista de que isso me ajudaráa alcançar meus objetivos". Se as declarações de primeira pessoa não funcionarem, tente uma variação usando o diálogo interno na segunda pessoa, como se fosse um treinador orientando a sessão. "Você vai terminar forte. Você está quase lá. Você está detonando esse segmento."

3. Treine propositadamente em condições desagradáveis.

O mau tempo fornece um teste ideal para resistência mental. O mesmo acontece com a corrida em uma hora do dia em que você não está acostumado a treinar. Varie os horários que você treina e escolha intencionalmente algumas sessões que alterarão sua programação habitual para serem propositadamente desconfortáveis. Obviamente, não se arrisque a se lesionar ou se machucar em condições extremas, mas se você costuma correr na hora do almoço, faça questão de acordar e correr de manhã bem cedo, quando estiver cansado ou grogue. Para os corredores da manhã, altere sua programação e corra à noite, depois de um longo dia, quando estiver cansado. Começar numa hora inconveniente, em que você não se sentirá revigorado, treinará sua mente e seu corpo a lidar com situações desconfortáveis e ajudaráa aprimorar a disposição e o otimismo.

4. Pratique diariamente.

Fora dessas sessões de treinamento difíceis, há muitas oportunidades para praticar a resistência mental em sua vida diária. Para aqueles de nós que tomam banho (espero que você), você pode aprimorar essa habilidade simplesmente ao, proativa e propositadamente, deixar a água fria por alguns minutos por dia. Mas não basta pular e tremer. Entre no chuveiro com os braços abertos, permitindo que a água bata no seu corpo e aceitando a experiência por tudo o que é, tanto na sua experiência fisiológica quanto nas suas reações emocionais e psicológicas. Tolerar um momento desconfortável a cada dia permite que você aprenda a conexão entre uma experiência física desagradável e os jogos que sua mente joga para escapar ou evitar rapidamente.

É importante lembrar que sua mente foi projetada para verificar se há perigo e buscar proteção. Os pensamentos começarão a procurar um lugar de refúgio no momento em que seu corpo cruzar o limiar de uma área de desconforto. É aqui que começa a tarefa de desenvolver resistência mental. É seu trabalho decidir se você deixa a mente vencer e se afasta e solta o acelerador ou se vai adotar a autodeterminação para atingir o nível de sucesso desejado. Se você treina sua mente para tolerar e até mesmo abraçar esses momentos desconfortáveis, estabelecendo um nível interno de resistência mental para sustentar a experiência, você está se treinando para poder acessar esse mesmo conjunto de habilidades no dia da prova.
Traduzido do site RunnersWorld.com

Fonte: RunnersWorld.com (traduzido por CoelhoDePrograma)

Leia mais sobre: mental

Assine a NewsLetter do CoelhoDePrograma e não perca mais nenhum artigo!

Gostou da matéria? Comente logo abaixo! mrgreen

Copyright - Marcelo Coelho