Coelho Dizeres Computador
[X] Fechar

Já conhece a NewsLetter do CoelhoDePrograma? Clique aqui e assine!

Só demora 30 segundos para se cadastrar e você recebe nossas notícias por email!

[X] Fechar

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

5 perguntas para depois de uma prova ruim Whats Email Mapa de imagens. Clique em cada uma das imagens

segunda-feira, 9 de setembro de 2019 - 08:28
runner tiredDepois de uma prova ruim, os lugares-comuns são muitos: "Levante a cabeça". "Volte à ativa." "Você precisa ter o mau para apreciar o bom."

Francamente? Esse tipo de serviço labial soa vazio quando você está na pior. Afinal, você dedicou todo seu tempo e esforço à preparação para a prova, apenas para o resultado ficar aquém do esperado. Uma prova ruim pode desencadear uma espiral de insegurança: Tudo isso vale a pena? É possível que eu simplesmente seja um corredor ruim? Devo abandonar as provas completamente?

Você está fazendo as perguntas erradas, diz a treinadora Tina Klein, da Life Time. "Mesmo em uma corrida com um resultado ruim, sempre há algo positivo", ela diz. Tina sabe que isso também soa como clichê, mas defende a afirmação. Uma prova ruim simplesmente não é razão para entrar em uma espiral de desespero.

O treinador Eric Lutton concorda. "Depois de uma prova ruim, se um corredor adota uma atitude de 'sou péssimo', ele nunca melhora. Ele pode continuar praticando, mas com essa atitude negativa, já desistiu. Ele não terá motivação para fazer o esforço necessário para alcançar seu potencial", diz Lutton.

Em vez de se culpar por uma prova ruim, use-a como uma ferramenta para ficar mais forte. Fazendo as perguntas certas após o evento, você pode obter informações importantes sobre o que precisa fazer para acertar na próxima vez. Agora, levante a cabeça e volte à ativa.

Como você acha que foi?

Nota: Esta não é uma pergunta sobre como você se saiu em comparação com outras pessoas na prova, nem sobre como os outros pensam que você foi. Comece com sua própria auto avaliação e reserve o tempo necessário para processar seus pensamentos antes de obter a percepção dos outros. Já que é você quem realmente fez a prova, sua opinião é a mais importante.

"Os treinadores têm uma visão do que aconteceu na prova, mas quero descobrir qual foi a experiência deles antes de fazer um julgamento precipitado e dizer o que acho que eles fizeram de certo ou errado. Quero ouvir o que o atleta tem a dizer. Em que parte eles tiveram dificuldades?", diz Lutton. Além de fornecer uma análise mais precisa do que aconteceu, dedicar esse tempo à introspecção constrói o músculo mental necessário para conduzir essa análise no meio da prova, ou seja, da próxima vez, você pode reconhecer e mudar a trajetória quando as coisas começam a degringolar.

Como estão suas fotos da prova?

Uma imagem vale mais que mil palavras e as fotos das provas não são exceção, diz Klein. "Eu avalio todas as fotos deles. Do começo ao fim, mas focando nas fotos no meio da prova, se disponíveis, para ver se há alguma alteração visível na postura ou na técnica." Analise o alinhamento dos tornozelos, joelhos e quadris: há alguma mudança perceptível? E os seus ombros: eles começaram a se aproximar dos seus ouvidos? Sua inclinação para a frente se transformou em um afrouxamento da postura? Identificar essas mudanças biomecânicas durante a prova pode fornecer orientações sobre o que precisa ser fortalecido para um corpo à prova de lesões e fadiga.

Qual o quadro geral?

Uma prova ruim geralmente começa bem antes do tiro de largada. Klein incentiva os atletas a encarar a prova de um ponto de vista holístico. "Pergunte a si mesmo se houve algo de errado na semana que antecedeu a corrida ou algum tipo de estresse, como falta de sono, mudanças na nutrição, problemas da vida, família ou um ente querido passando por uma experiência delicada, trabalho. Podemos não perceber, mas tudo isso pode afetar o desempenho das provas.", Klein diz.

O que deu certo?

Quando você tem um resultado final ruim, é fácil esquecer as coisas que foram bem ao longo do caminho. "Sim, você pode identificar no que precisa trabalhar para melhorar, mas também precisa observar o que fez bem. Talvez você não tenha largado nem muito rápido nem muito devagar, ou talvez tenha mantido bem o ritmo, ou tenha lidado com uma parte difícil melhor do que imaginava, ou há algo que fez melhor nesta prova em comparação com as anteriores." Pegue essas vitórias, por menores que sejam, e use-as para adquirir confiança para enfrentar o próximo desafio.

Onde essa prova se encaixa na minha trajetória geral?

Lembre-se de onde você estava há um mês, um ano ou mesmo uma década atrás. Provavelmente, essa prova não o levou a voltar à estaca zero. O reconhecimento de sua melhoria geral pode servir como um lembrete poderoso de que esse dia ruim é apenas isso: um dia ruim. Os melhores corredores sabem melhor que ninguém que os recordes pessoais são raros e só aparecem quando todos os elementos estão alinhados. Na maioria dos dias, você espera correr forte e de maneira inteligente e se sentir bem com seu esforço e condicionamento físico.

"Ninguém está no seu melhor o tempo todo. Podemos ter leves quedas ao longo do caminho, mas a direção normalmente é para cima, geralmente com pequenas melhorias.", diz Lutton.
Traduzido do site PodiumRunner.com

Fonte: PodiumRunner.com (traduzido por CoelhoDePrograma)

Leia mais sobre: prova

Assine a NewsLetter do CoelhoDePrograma e não perca mais nenhum artigo!

Gostou da matéria? Comente logo abaixo! mrgreen

Copyright - Marcelo Coelho