Coelho Dizeres Computador
[X] Fechar

Já conhece a NewsLetter do CoelhoDePrograma? Clique aqui e assine!

Só demora 30 segundos para se cadastrar e você recebe nossas notícias por email!

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Meu vício é correr apresenta: Vivi Silva



sexta-feira, 29 de janeiro de 2016 - 18:23

Vivi Silva, antes e depoisFala, galera! A seção 'Meu vício é correr', que garimpa e traz exemplos de como a corrida e os esportes em geral mudam a vida das pessoas, traz hoje a história de Vivi Silva, uma carioca, mãe de três filhos, professora e estudante de direito de 37 anos, que perdeu 53 kg com cirurgia e corrida e que vem mudando sua vida através do esporte que tanto amamos. Vale a pena conferir!





 Vivi Silva, antes!A infância
Minha história com a corrida é bem recente, apesar da paixão de infância. Sempre fui obesa, criança gordinha, fofinha, bonitinha... Cresci sendo motivo de chacota. Naquela época os apelidos não eram bullying... Baleia, rolha de poço, casa da banha...


O choque e a cirurgia
Na adolescência, via minhas amigas namorando e eu sempre sozinha, hoje percebi que eu era um bagulho... O tempo passou, cheguei a 143 kg e no dia que me vi entalada na roleta do ônibus ao sair da faculdade, decidi que era hora de parar essa história ridícula. Procurei ajuda médica e fui indicada para cirurgia bariátrica. Minha família foi maravilhosa, meus filhos, minha mãe. Foram fundamentais no pós-operatório. Me ajudam muito!

A alimentação
Sobre alimentação eu não mudei nada, só diminuiu muito a quantidade. Açúcar e gordura que tive que reduzir muito porque me fazem muito mal. É claro que hoje tenho que ingerir muito mais líquido que ingeria antes. Gosto muitíssimo de açaí, mas tem que ser com muito pouco xarope e sem frutas, me dá muita disposição, É impressionante! Vou te contar uma coisa, eu não faço mais dieta porque não quero mais emagrecer, rsrsrs.

Sobre a cirurgia
As pessoas precisam aprender que o procedimento bariátrico não é a cura da obesidade. O trabalho mental e muito importante, não adianta continuar pensando com a mente do gordo. Vi muitas histórias de pessoas que voltaram a engordar. Não adianta operar e esperar o milagre, tem que se exercitar. Eu faço pouco, sei que preciso melhorar muito, mas minha rotina é complicada. A cirurgia é um processo complicado, mas eu levo a minha vida normal. O que eu gostaria mesmo era de mais tempo para me exercitar, porque a faculdade à noite e o trabalho o dia ocupam muito meu tempo e no final de semana tenho que estudar, dar conta de casa e filhos. Se a pessoa puder evitar o procedimento cirúrgico ótimo, mas se não der, pesquise, veja vídeos, entre nós grupos de bariátrica no facebook, porque uma vez feita, não tem volta!

Vivi Silva, antes e depois!A redescoberta da paixão pela corrida
1 ano e 6 meses depois da cirurgia, participei da minha primeira corrida oficial Circuito Vênus, não corro, caminhei os 5 km. De lá para cá, peguei mais gosto e o sonho de infância se tornou realidade. As lágrimas rolaram quando fiz 2,5 km. Lembrei que há 1 ano passado eu não caminhava nem 1 km! Hoje já tenho 7 provas oficiais e um calendário pela frente. Enfim, não foi a corrida que me emagreceu, mas é a corrida que tem me dado fôlego para continuar. Eu amo esse mundo das corridas. Há uns meses atrás descobri uma tendinite de quadril, de vez em quando a coluna da uns sinais, mas não ligo. Eu não tenho e nunca tive pretensões com pódio, primeiros lugares. Não! A corrida para mim é diversão, é o desafio de sair de casa e ir caminhar, cara eu não fazia nada disso, sou uma vitoriosa! Até meus filhos pegaram gosto e já participam também!
E então, gostou de ler a história da Vivi? Espero que sim, porque eu me amarrei em colhê-la!

Se gostou, dá um joinha e se quer mandar a sua, entre em contato comigo!

Abraços, beijos e até a próxima!

Fonte: Coelho de Programa

Leia mais sobre: vivi silva, corrida, alimentação, cirurgia bariátrica

Assine a NewsLetter do CoelhoDePrograma e não perca mais nenhum artigo!

Gostou da matéria? Comente logo abaixo! mrgreen

Copyright - Marcelo Coelho