Parceiros
[X] Fechar

Já conhece a NewsLetter do CoelhoDePrograma? Clique aqui e assine!

Só demora 30 segundos para se cadastrar e você recebe nossas notícias por email!

[X] Fechar

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

É mais fácil correr 6 que 2 vezes na semana.
Whats Email Mapa de imagens. Clique em cada uma das imagens

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020 - 08:15
runnerAlgumas corridas são mais fáceis que outras, mas correr em geral não é fácil. Daí a expressão: "Meu esporte é o castigo do seu esporte". Por isso, a lógica nos diz que correr com mais frequência - digamos, seis vezes por semana - deve ser mais difícil do que correr com menos frequência - digamos, duas vezes por semana. Entretanto, na realidade, o contrário é verdadeiro.

Por nada menos que quatro razões específicas, correr frequentemente é mais fácil do que correr ocasionalmente. Portanto, se você estiver interessado em tornar sua própria rotina de corrida mais fácil de sustentar, considere correr com mais frequência. Cético? Leia!

Razão # 1: A força do hábito

A pesquisa sobre a ciência da formação de hábitos destacou a importância do que é conhecido como automaticidade. As pessoas só têm muita força de vontade. Se você deseja manter um hábito como correr, o comportamento básico precisa se tornar automático, algo que você faz, independentemente de quanta força de vontade você tem em um determinado dia. E nada ajuda um hábito a se tornar automático mais que a frequência de repetição.

Em um estudo de 2017, os psicólogos Navin Kaushal e Ryan Rhodes, da University of Victoria, analisaram a relação entre frequência de exercícios e automação em uma população de 111 novos membros da academia. Depois de 12 semanas de monitoramento, 63,8% dos que visitaram a academia quatro ou mais vezes por semana conseguiram formar um hábito de exercício (medido pela automação), em comparação com apenas 22,6% daqueles que visitaram a academia três ou menos vezes por semana.

A lição: Se você deseja manter seu hábito de correr mais facilmente, corra com frequência suficiente para que ele se torne automático.

Razão # 2: Dependência saudável

Correr frequentemente também promove uma dependência psicológica saudável da corrida, o que a facilita. Quando você corre com frequência suficiente (mais ou menos diariamente), geralmente se sente melhor quando corre do que quando não.

Isso foi demonstrado em um estudo de 1988 por Connie Chan, da University of Massachusetts, e Hildreth Grossman, da Harvard University. Os sujeitos eram 60 homens e mulheres classificados como "corredores consistentes". Metade deles concordou em parar de correr por duas semanas, enquanto a outra metade continuou treinando normalmente. Durante esse período de duas semanas, os membros do grupo privado de seu hábito de correr relataram níveis mais altos de depressão, ansiedade, confusão e distúrbios gerais de humor. Pode apostar que eles ficaram muito mais felizes quando o estudo terminou e eles voltaram a correr!

A lição: Se você deseja tornar seu hábito de correr mais fácil, continue com a frequência necessária para se sentir melhor quando corre do que quando não o faz.

Razão # 3: Sentir-se em forma

A principal razão pela qual a corrida é difícil ou desafiadora é o esforço percebido ou o seu senso geral de quão duro você está trabalhando durante o exercício. Quanto mais aptidão física você obtiver, menor será seu esforço percebido em um determinado ritmo. Para iniciantes, quase qualquer ritmo parece desconfortável, mas para corredores que praticam esse esporte há algum tempo e constroem um nível decente de condicionamento físico, navegar em uma velocidade baixa a moderada pode parecer tão confortável quanto caminhar.

Um dos maiores contribuintes para a aptidão física é a frequência de corrida. Simplificando, quanto mais vezes você correr (até certo ponto, é claro), mais apto ficará e mais fácil será a corrida. Por exemplo, um estudo de 2017 realizado por pesquisadores britânicos encontrou uma correlação significativa entre a frequência da corrida e a velocidade no limiar de lactato, o VO2 máximo e os tempos da maratona em um grupo de 97 corredores recreativos.

A lição: Se você sentir que correr num determinado ritmo parece mais fácil, corra com frequência.

Razão # 4: Maior durabilidade

Como uma atividade de alto impacto, a corrida produz dores e, ocasionalmente, lesões. Embora intuitivamente se possa dizer que quanto mais vezes você corre, mais dores e lesões terá, a verdade é que os corredores que treinam com mais frequência tendem a se lesionar com menos frequência. Isso ocorre porque a corrida estimula adaptações teciduais nos ossos, músculos e articulações que as tornam mais duráveis.

Um estudo de 2013 de pesquisadores dinamarqueses constatou que entre 662 corredores treinando para uma maratona, aqueles que corriam menos de 30 km por semana lesionavam-se duas vezes mais do que aqueles que corriam de 30 a 60 km por semana, enquanto aqueles que corriam mais de 60 km não se lesionaram com mais frequência do que aqueles que corriam de 30 a 60 km por semana. E um estudo de 2014 publicado no Journal of Science and Medicine and Sport relatou que em um grupo de 517 corredores recreativos, aqueles que corriam menos eram os que se lesionavam com mais frequência.

Entretanto, isso não significa que você deva sair direto do sofá para percorrer mais de 60 km por semana. Uma pesquisa do fisiologista australiano Tim Gabbett mostrou que atletas de vários esportes nunca se machucam mais do que quando aumentam abruptamente sua carga de treinamento, enquanto manter uma carga consistentemente alta diminui o risco de lesões, e não, como muitos acreditam, leve ao "overtraining". Portanto, é importante aumentar gradualmente a frequência de corrida e a quilometragem geral até atingir um nível de manutenção adequado e então manter-se bastante consistente.

A lição: Se você deseja que a corrida pareça fácil para suas pernas, corra com frequência suficiente para maximizar a durabilidade delas.
Traduzido do site PodiumRunner.com

Fonte: PodiumRunner.com (traduzido por CoelhoDePrograma)

Leia mais sobre: treino, lesão, quilometragem

Assine a NewsLetter do CoelhoDePrograma e não perca mais nenhum artigo!

Gostou da matéria? Comente logo abaixo! mrgreen

Copyright - Marcelo Coelho