Coelho Dizeres Computador
[X] Fechar

Já conhece a NewsLetter do CoelhoDePrograma? Clique aqui e assine!

Só demora 30 segundos para se cadastrar e você recebe nossas notícias por email!

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

A importância do core para a sua corrida



quinta-feira, 3 de janeiro de 2019 - 08:52
core musclesEmbora a necessidade de incorporar o trabalho de velocidade e a recuperação em um plano de corrida possa falar por si só, quando se trata de compreender a importância de incluir o trabalho de core, a resposta pode ser um pouco menos óbvia. Mas certamente não menos importante.

Conhecido como a casa de força do corpo, o core impacta todos os movimentos e atividades da estrutura humana. Na verdade, a sua capacidade de se levantar, sentar, se curvar e sair da cama é toda impulsionada pelo seu core.

Você pode pensar nele como a casa de força do músculo que o sustenta e faz tudo funcionar ao seu redor. Do movimento e extensão de cada membro à propulsão do seu corpo para a frente, um core forte está na base e une pélvis, músculos abdominais, quadris e costas para que possam trabalhar em sincronia. Especialmente quando se trata de correr.

Dentro dos movimentos da corrida, quando você coloca seu pé à frente e começa o passo, seu corpo recebe uma carga que é seu peso corporal multiplicado várias vezes. Essa energia é transferida através do seu corpo inteiro, permitindo que você avance, empurrando e aterrissando para o seu próximo passo.

Um core forte é capaz de transferir a força e a energia que transitam pelo seu corpo, devido à sua maior estabilidade, em vez de perder energia. Um core forte mantém a estabilidade do seu tronco e do seu corpo e que pode efetivamente trazer a energia à tona e usá-la.

Quando o core é estável e mantém tudo alinhado, pode gerar um aumento de energia na corrida, ajudando você a manter uma velocidade maior, uma postura adequada e uma dispersão de carga efetiva que funcione de modo a evitar lesões. É importante lembrar que o core é composto de muito mais do que apenas os músculos abdominais e inclui (para citar alguns): as costas, flexores do quadril e pélvis. O componente dos músculos abdominais é na verdade uma seleção de vários conjuntos de músculos, onde existem músculos profundos que não podemos ver e, em seguida, o reto abdominal no topo, o que normalmente pensamos na criação do "tanquinho".

Fortalecer seu core, portanto, e tê-lo forte o suficiente para estabilizar seu corpo e transferir energia, não tem nada a ver com o "tanquinho" ou com estética, e sim tudo a ver com potência e transferência de carga. Quando essa transferência de carga é eficaz e é adequadamente dispersada, não apenas sua corrida se beneficia, mas o risco de lesões diminui, sua postura melhora e o resultado é sua melhoria de desempenho.

Entretanto, para obter esses resultados, você tem que trabalhar seus músculos abdominais mais profundos. Simplesmente fazer 100 flexões e movimentos de bicicleta o mais rápido possível não vai funcionar. Em vez disso, concentre-se no trabalho profundo usando essas dicas:
  • Comece com a mente e a ativação consciente e consistente de seu core. Na maior parte do tempo, o core não está funcionando sem sua capacidade plena, porque nosso cérebro não o está mandando fazer qualquer trabalho.

  • Esteja ciente do papel da sua respiração: expire durante o movimento para recrutar o seu core e inspire para relaxá-lo.

  • Lembre-se de que você também precisa contrair seu abdome inferior - assoalho pélvico - ao expirar.

  • Lembre-se de que movimentos lentos e controlados são a melhor maneira de construir músculos do core fortes.

Traduzido do site Competitor.com

Fonte: Competitor.com (adaptado por Coelho de Programa)

Leia mais sobre: core, corrida

Assine a NewsLetter do CoelhoDePrograma e não perca mais nenhum artigo!

Gostou da matéria? Comente logo abaixo! mrgreen

Copyright - Marcelo Coelho