Coelho Dizeres Computador
[X] Fechar

Já conhece a NewsLetter do CoelhoDePrograma? Clique aqui e assine!

Só demora 30 segundos para se cadastrar e você recebe nossas notícias por email!

[X] Fechar

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Treine seu foco para melhorar sua corrida
Whats Email Mapa de imagens. Clique em cada uma das imagens

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019 - 08:35
focused runnerDor é o nome do jogo quando se trata de performance. Estamos acostumados a lidar com uma grande quantidade de esforço durante nossos treinos e corridas. Geralmente atribuímos isso é dor proveniente dos próprios músculos e ao esforço necessário para gerar nossa velocidade. Mais recentemente, porém, pesquisas descobriram que estressores externos, como fadiga mental ou estresse emocional, podem afetar a forma como sentimos essa dor e o quanto podemos forçar.

Experimentos como os do grupo de Samuel Marcora na Inglaterra mostraram que estressores externos podem afetar nosso desempenho subsequente e nossa percepção de esforço. Em outras palavras, se fizermos uma tarefa mentalmente exigente, como alguns problemas de matemática, ou passarmos por uma experiência emocional, como assistir a um filme muito triste, e depois nos exercitarmos, nossa percepção de quão duro estamos nos exercitando será distorcida.

Embora os cientistas ainda estejam tentando descobrir as razões exatas pelas quais isso ocorre, uma das mudanças interessantes que já é sabido que ocorrem é que nossa capacidade de focar muda. Se estamos drenados por uma experiência mental ou emocional, nosso foco durante as partes desafiadoras do treino muda. Todos nós já experimentamos isso durante o cansaço físico, onde podemos começar a sair da zona ou ver nosso ritmo diminuir lentamente à medida que mudamos nosso foco da corrida para quanta dor estamos sentindo. O mesmo fenômeno parece ocorrer após tarefas mentalmente exigentes, onde nosso foco se afasta da tarefa em mãos e passamos a ter pensamentos mais perturbadores.

Embora tudo isso pareça negativo, com uma mensagem para evitarmos coisas como fazer um teste na escola antes de uma corrida ou exercício, se revertermos a ideia, acho que podemos usar esses estressores externos em nosso benefício. Em vez de pensar no cansaço mental como negativo, devemos pensar nele como uma maneira de trabalhar no combate a essa perda de foco. Se conseguirmos manter nossa atenção durante um treino, provavelmente traduziremos isso em uma capacidade de manter o foco por mais tempo durante uma corrida sob forte fadiga física.

Vamos analisar três maneiras diferentes pelas quais podemos usar essas técnicas para trabalhar nossa capacidade de manter o foco durante treinos pesados.

Melhorando seu jogo mental - Fatores de Foco

1. Manter o foco no intervalo dos tiros.
Durante nossos treinos com intervalos intensos, simulamos esforços de prova, dividindo o treino em intervalos com uma pequena pausa entre os intervalos. Isso é feito para que possamos obter um volume de trabalho em vários ritmos maior do que conseguiríamos se realizássemos o treino diretamente. Esses descansos curtos obviamente nos dão uma pausa física, mas o que eles também fazem é nos dar uma pausa mental. Isso nos dá um curto período de tempo em que podemos abandonar nosso foco e reorganizar-nos mentalmente antes do próximo intervalo. O que podemos fazer é relaxar a parte física nessa interrupção, mas executar várias tarefas para forçar a manutenção da atenção durante o descanso. Durante o intervalo, por exemplo, mantenho os atletas realizando uma tarefa mentalmente exigente no smartphone ou no iPad. Há uma variedade de aplicativos e jogos mentalmente desafiadores que você pode usar gratuitamente. Usamos tudo, desde simples problemas matemáticos a tarefas de psicologia cognitiva, como o teste Stroop.

Exemplo: 6 x 800 m em ritmo de prova de 5 km com descanso de 2 min, onde a maior parte desse descanso é gasto realizando uma tarefa mentalmente exigente.

2. Longão mentalmente exaustivo.
Durante provas mais longas, como a maratona, não é incomum deixar nossa mente vagar durante as partes cruciais. À medida em que nossas reservas de combustível vão acabando, nossa capacidade cognitiva de manter o foco em uma tarefa diminui. Podemos simular isso na prática sem correr a maratona completa, simplesmente executando uma tarefa mentalmente exigente, como fazer um questionário ou teste acadêmico desafiador na hora que antecede a nossa corrida. Isso deve nos fadigar mentalmente, levando a uma diminuição do foco durante o longão. A chave, então, é perceber quando esse aumento de esforço e diminuição de foco estáo chegando e trabalhar para combatê-los, a fim de permanecer mentalmente focado. Com meus atletas, eu os lembrarei durante as etapas intermediárias e finais para manter o foco, mas se você estiver sozinho, pode simplesmente ajustar o relógio para emitir um sinal sonoro a cada quilômetro durante as etapas posteriores para servir de lembrete para manter sua atenção na corrida.

Exemplo: faça 30 min de exercícios de matemática e depois faça uma corrida de 22 a 26 km.

3. Corridas na esteira ou tediosas.
Por fim, e talvez menos atraente, é simplesmente treinar como lidar com o tédio. É muito mais fácil continuar fazendo força quando estamos correndo num parque ou bairro pitoresco do que se estamos olhando para uma parede, indo a lugar nenhum em uma esteira. Se pudermos aperfeiçoar as corridas longas ou difíceis, quando tudo o que temos sóo nossos pensamentos em nossa mente, em vez de um cenário agradável para distrair-nos, quando chegar o dia da prova, nossa capacidade de foco aumentará bastante. Da próxima vez que você correr na esteira, abandone a música e a televisão, e corra onde é só você, a esteira e seus pensamentos. Se você conseguir fazer uma hora a mais sem a ajuda da música, estará no caminho de aumentar sua capacidade de foco.
Traduzido do site ScienceOfRunning.com

Fonte: ScienceOfRunning.com (traduzido por CoelhoDeProgra

Leia mais sobre: mental

Assine a NewsLetter do CoelhoDePrograma e não perca mais nenhum artigo!

Gostou da matéria? Comente logo abaixo! mrgreen

Copyright - Marcelo Coelho