Coelho Dizeres Computador
[X] Fechar

Já conhece a NewsLetter do CoelhoDePrograma? Clique aqui e assine!

Só demora 30 segundos para se cadastrar e você recebe nossas notícias por email!

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Faça cada treino ter um propósito



segunda-feira, 29 de outubro de 2018 - 10:16
fartlekFala, galera!

Para nós, amantes da corrida, às vezes é muito legal você só calçar os tênis, ligar o relógio no começo do treino e só olhar pra ele no final, na hora de desligar, ir só curtindo a paisagem.

Só que os corredores em geral são pessoas focadas, quase sempre com um objetivo em mente. E é bom que seja assim! Para a corrida e para a vida!

Parecem coisas que não são conciliáveis? Só parecem, porque há treinos cujo objetivo é exatamente este!

É justamente dessa necessidade de se manter (quase) sempre o foco que trata o artigo que traduzi para lhes trazer hoje, do excelente site Competitor.com.

Bora dar aquela lidinha de lei? mrgreen
Além de longões e treinos de velocidade, muitos corredores veteranos registram muita corrida adicional. Embora os benefícios de longões e treinos de velocidade sejam claros - e falarei sobre os benefícios dessas corridas no próximo capítulo -, o que essas outras corridas propiciam?

Posso apontar alguns benefícios. Uma delas é manter a forma física de um modo geral. Nossos corpos trabalham com o princípio da conservação, mantendo apenas a quantidade de aptidão necessária para realizar as tarefas que pedimos. Quando pedimos mais, o corpo melhora, mas quando pedimos menos, o corpo renuncia a alguns desses ganhos conquistados com esforço. Pela lógica do corpo, não há necessidade de carregar músculos extras ou de manter um suprimento de sangue expandido, a menos que precisemos deles em breve. Se nossa corrida semanal consistisse em apenas um dia de longão e treino de velocidade, nossos corpos aumentariam os níveis de condicionamento físico, mas não os manteriam efetivamente nos níveis mais altos possíveis.

Um segundo benefício, como discutido anteriormente, é que a corrida consistente melhora a economia de corrida. A questão fundamental, então, é: quanto tempo é necessário para atingir esses objetivos? Como discutimos anteriormente, não muito. Grandes benefícios podem vir de corridas menores e direcionadas. Isso é importante porque há riscos em aumentar a quilometragem.

Com isso em mente, meu plano adota uma abordagem nova e econômica da corrida: em vez de presumir que inserir uma corrida extra é sempre uma boa ideia, você não deve adicionar essa corrida, a menos que possa enunciar um benefício específico que viria de fazê-la. Qualquer treino que você faça - seja em corrida, treinamento de força ou de core - deve passar nesse mesmo teste. Se você não pode dizer o que exatamente um treino adicional faz por você, então você não deve fazê-lo. Essa é a essência da corrida intencional.

Cada treino atende a esse teste. Quer pretenda desencadear a queima de gordura, melhorar a velocidade ou fortalecer determinados grupos musculares, cada um tem uma finalidade específica.

Uma abordagem dos treinos com propósito significa o fim daqueles treinos vagarosos e maçantes, onde os quilômetros parecem intermináveis e pequenas dores começam a se acumular, talvez desembocando em uma lesão. Não é, no entanto, uma alternativa ao trabalho duro. Este programa ainda exige muito tempo gasto em treinamento. Apenas três dias por semana são de corrida, mas esses três dias apresentam corridas difíceis e direcionadas, implementando uma forma de treinamento de alta intensidade. Essa abordagem fornece mais retorno para o investimento em treinamento, fazendo com que cada minuto gasto no trabalho conte mais.

Considere isso: um estudo mostrou que passar mais de 60 minutos em intensidade constante não tem muito impacto na densidade mitocondrial - ou seja, a capacidade do corpo de gerar energia no nível celular para realizar o trabalho (Burgomaster et al. 2005; Gibala et al. al. 2006). Esforços mais curtos e mais duros, no entanto, aumentam a densidade mitocondrial e também melhoram o desempenho de resistência. Em 1996, Izumi Tabata, do Instituto Nacional de Fitness e Esportes de Tóquio, descobriu que o treinamento intervalado de 20 segundos com um descanso de 10 segundos, repetido 8 vezes, em um total de 4 minutos de treinamento, melhorou a capacidade aeróbica em 14%, comparado a 10 por cento por uma hora de treinamento (Jackson, Hickey e Evans 2009).

Pense sobre isso. Quatro minutos de trabalho duro foram melhores do que uma hora de treinamento. Essa é uma descoberta surpreendente não apenas para todos os atletas que buscam melhorar, mas também para aqueles que sofrem para equilibrar os compromissos do treino com as necessidades da família e do trabalho.
Abraços e beijos a todos e até a próxima! mrgreen

Fonte: Competitor.com (adaptado por Coelho de Programa)

Leia mais sobre: corrida, treino, objetivo

Assine a NewsLetter do CoelhoDePrograma e não perca mais nenhum artigo!

Gostou da matéria? Comente logo abaixo! mrgreen

Copyright - Marcelo Coelho