Parceiros
[X] Fechar

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Estudo mostra que gelo para lesões pode não funcionar
Compartilhe! Telegram Whats Email Mapa de imagens. Clique em cada uma das imagens

segunda-feira, 10 de maio de 2021 - 08:29
ice bathPor décadas, a sabedoria convencional nos disse que aplicar gelo em um músculo lesionado é a melhor maneira de acelerar a recuperação e retornar às atividades normais. Da mesma forma, a aplicação nos músculos doloridos após um treino particularmente extenuante foi pensada para acelerar o processo de reparo muscular para que você pudesse estar melhor preparado para lidar com a sessão de treinamento do dia seguinte. Nos últimos anos, alguns cientistas têm desafiado essa prática, e novas pesquisas em ratos mostraram que não só a aplicação de gelo nos músculos lesionados é ineficaz, como também pode retardar o processo de recuperação.

Primeiro, vamos ver como os músculos se curam, de acordo com o Journal of Sports Medicine. Após um treino extenuante ou uma lesão, seu corpo envia células imunológicas pró-inflamatórias para a área danificada para ajudar a remover fragmentos celulares e fragmentos de tecido danificados. Em seguida, seu corpo envia células anti-inflamatórias para ajudar a regenerar seus músculos. A fase anti-inflamatória é relativamente curta, mas muito importante para a recuperação muscular adequada. Claro, como geralmente vem com um pouco de dor e inchaço, naturalmente consideramos isso uma coisa ruim, e é por isso que durante anos nos disseram para aplicar gelo na área afetada.

O estudo, publicado no Journal of Applied Physiology,usou estimulação elétrica em 40 ratos machos jovens e saudáveis para fazer seus músculos da panturrilha se contraírem repetidamente, simulando um treino de perna difícil na academia. Eles coletaram amostras de músculos dos ratos imediatamente após o "treino" e, em seguida, colocaram bolsas de gelo nas pernas de metade dos ratos. Durante as duas semanas seguintes, os pesquisadores continuaram a coletar amostras de músculos dos camundongos.

Os cientistas descobriram que os ratos que não receberam tratamento com gelo tiveram uma resposta pró-inflamatória muito rápida e, no terceiro dia, a maior parte das fibras danificadas foram removidas. Isso permitiu que a resposta anti-inflamatória começasse e, após duas semanas, os músculos estavam totalmente curados. Por outro lado, os ratos que receberam tratamento com gelo tiveram uma resposta inflamatória muito mais lenta e levou sete dias para seus corpos removerem os detritos indesejados. A chegada de células anti-inflamatórias também foi retardada e após duas semanas, seus músculos não estavam totalmente curados.

Quando você se exercita, quer esteja levantando pesos na academia ou em uma corrida, você está colocando carga nos músculos. Quando essa carga é maior do que seus músculos podem suportar, você acaba com minúsculas hemorragias por todo o tecido (ou, se for longe demais, você realmente rasga o músculo e acaba com uma lesão). No caso dessas pequenas "rachaduras", uma vez que seu músculo cicatriza, ele será capaz de lidar com a tensão e você ficará mais forte. Quanto mais rápido esse processo de cura ocorrer, mais cedo você poderá voltar para a próxima sessão de treinamento pesado e mais rápido você ficará em forma.

Este estudo demonstra que a aplicação de gelo nos músculos danificados retarda esse processo de recuperação, o que, subsequentemente, diminui seu progresso. É claro que a pesquisa foi feita em ratos e, embora seus músculos tenham uma composição semelhante à nossa, mais pesquisas precisam ser feitas em humanos para confirmar essas descobertas. Por enquanto, porém, há uma lição para os corredores: você pode dispensar o banho de gelo, já que provavelmente não está ajudando e pode até piorar as coisas.
Traduzido do site RunningMagazine.ca

Fonte: RunningMagazine.ca

Leia mais sobre: gelo, lesão

Copyright - Marcelo Coelho