Parceiros
[X] Fechar

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Entendendo a resistência à fadiga
Compartilhe! Telegram Whats Email Mapa de imagens. Clique em cada uma das imagens

segunda-feira, 31 de maio de 2021 - 10:50
exhausted runnerQuando se trata de habilidades de corrida, tendemos a nos concentrar no VO2 máximo do atleta como a métrica final para prever a velocidade. As outras duas variáveis, limiar de lactato e economia de corrida, também afetarão o desempenho de um corredor. Esses fatores, no entanto, não parecem contar toda a história, e é por isso que os cientistas agora estão considerando uma quarta variável para tentar prever o desempenho na corrida: a resistência à fadiga.

Cientistas do esporte definiram a resistência à fadiga como a extensão da deterioração das outras três variáveis (VO2 máximo, limiar de lactato e economia de corrida) ao longo do tempo. É certo que esta não é exatamente uma ideia nova. Na verdade, um estudo de 1999 comparando corredores caucasianos com corredores da África Oriental descobriu que a resistência à fadiga dos corredores africanos (medida como o tempo até a fadiga) era 21 por cento maior do que a dos outros corredores. Os pesquisadores não conseguiram explicar por que isso acontecia, mas ofereceram algumas teorias, incluindo diferenças genéticas básicas, diferenças ambientais (muitas nações do Leste Africano estão em uma altitude mais elevada) ou diferenças de treinamento.

Já que você não pode fazer muito sobre sua genética e provavelmente ir para um acampamento de treinamento em altitude também não é uma opção para você, a única coisa que resta em se concentrar é no seu treinamento. A boa notícia é que existem maneiras de melhorar sua resistência à fadiga por meio do treinamento. A má notícia é que não é fácil. De acordo com o treinador de corredores de elite Owen Anderson, em seu livro Running Science, uma maneira de melhorar sua resistência à fadiga é passar mais tempo treinando em ritmo de prova. Fazer intervalos mais longos (por exemplo, 2k) em seu ritmo ideal de prova dar-lhe-á a resistência física e mental para manter seu ritmo alvo por um longo período de tempo, o que se traduzirá em mais confiança no dia da prova.

Além de intervalos mais longos, encurtar o tempo de recuperação entre os intervalos também o ajudará a construir mais resistência à fadiga. Isso tornará seu treinamento mais específico para a prova e ensinará como manter um ritmo sem uma recuperação adequada. Nos estágios iniciais de seu treinamento, você provavelmente precisará de mais descanso para manter seu ritmo de prova por intervalos mais longos, mas à medida que ficar em forma, pode começar a reduzir gradualmente o tempo de recuperação para aumentar sua resistência à fadiga.

No momento, ainda há muitas perguntas sobre a resistência à fadiga e como podemos desenvolvê-la adequadamente, mas, por enquanto, trabalhar com um bom treinador, que pode fornecer uma variedade de exercícios para desafiá-lo adequadamente, será sua melhor opção para se colocar no caminho para o seu próximo recorde pessoal.
Traduzido do site RunningMagazine.ca

Fonte: RunningMagazine.ca

Leia mais sobre: vo2 máximo, lactato, fadiga

Copyright - Marcelo Coelho