Coelho Dizeres Computador
[X] Fechar

Já conhece a NewsLetter do CoelhoDePrograma? Clique aqui e assine!

Só demora 30 segundos para se cadastrar e você recebe nossas notícias por email!

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Corridas de longa distância doem. Acostume-se a isso!
Enviar por email Compartilhe no Twitter

quinta-feira, 21 de setembro de 2017 - 15:14
advilFala, galera! Todo mundo que já treinou para uma maratona sabe que a dor será sua companheira constante. Mesmo não sendo médico (sou analista de sistemas, pra quem não sabe), posso dizer que sei que a dor (muscular) faz parte do processo de adaptação ao volume e intensidade do treinamento.

Então, qual a solução? Ao meu ver: Darmos ao descanso a mesma importância que damos ao treino.

Antes de continuar, friso que cada um faz o que quer e que não é meu papel julgar, apenas trazer algumas informações (de médicos e pesquisadores, não minhas) para que possamos tomar decisões o mais embasadas possível acerca do que fazer ou não.

Esclarecida minha posição, vejo que há pessoas que querem "encurtar" o tempo de recuperação ou diminuir a dor usando remédios.

Óbvio que ao desaprovar (pra mim!) esse tipo de conduta, não quero parecer um bicho-grilo que não toma remédio nunca e que quer curar tudo com capim-santo mascado por vacas guatemaltecas. Pelo contrário, acho que há espaço para os dois, o alternativo e o alopático. Acho que tudo depende da dosagem e da situação.

A reportagem que traduzo hoje, do site WomensRunning, vai na linha de mostrar os perigos dessa abordagem de exagerar nos remédios. Bora dar uma lidinha? mrgreen
Tomar analgésicos enquanto corre distâncias longas duplica seu risco de lesão renal aguda, de acordo com nova pesquisa. Corredores não são estranhos à dor, mas também podemos ficar muito confortáveis medicando-se com anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) para aliviar parte dessa dor. Pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de Stanford descobriram que os corredores de resistência que tomam o analgésico ibuprofeno enquanto correm dobram o risco de lesão renal aguda.

O estudo

Em um novo estudo publicado em 5 de julho no Emergency Medical Journal, pesquisadores de Stanford explicaram que 75 por cento dos ultramaratonistas usam ibuprofeno enquanto treinam e competem sem perceber o estresse que a prática causa aos rins. O líder do estudo foi Grant Lipman, MD, um professor associado de medicina de emergência em Stanford e diretor da Stanford Wilderness Medicine, tendo atuado como diretor médico em inúmeras ultramaratonas em todo o mundo. Como o estudo explica,

"Correr essas provas tende a doer. Eu vi em primeira mão como é comum para os corredores tomar ibuprofeno antes, durante e depois dessas corridas para aliviar a dor e reduzir o inchaço das articulações.", disse Lipman, que atuou como diretor médico nos eventos de Ultramaratona RacingThePlanet, que se realizam em várias partes do mundo, incluindo China, Antártida e Chile.

Os resultados

corredorO estudo duplo cego (NT: um método de ensaio clínico realizado em seres humanos onde nem o examinado (objeto de estudo) nem o examinador sabem o que está sendo utilizado como variável em um dado momento, comumente usado para validação de práticas experimentais quantitativas em ciência. Fonte: Wikipedia) pedia que 89 corredores tomassem ibuprofeno (real ou placebo) durante uma perna de 80 km de uma ultramaratona de 250 km. Dos 89 participantes, 39 tiveram lesão renal aguda após a primeira seção de 80km da corrida, tendo tomado uma pílula de ibuprofeno de 400 mg a cada quatro horas. Houve uma taxa 18 por cento maior de lesão renal entre aqueles que tomaram a droga em comparação com aqueles que não tomaram. "Basicamente, para cada cinco corredores que tomaram ibuprofeno, houve um caso adicional de lesão renal aguda", afirmou Lipman, afirmando, para o estudo, acrescentando que o ibuprofeno fez "uma diferença impressionante".

O risco para corredores

Os corredores que tomam o ibuprofeno antes, durante ou após um longo período correm risco aumentado de lesão renal porque o ibuprofeno diminui o fluxo sanguíneo. Os corredores de resistência estão muitas vezes desidratados durante a corrida, especialmente depois de algumas horas em uma ultramaratona, que é quando o uso de AINEs tende a começar. "Estudos mostram que, para a maioria das pessoas, essa lesão renal aguda geralmente é resolvida dentro de um dia ou dois após a corrida. No entanto, corredores acabaram sendo hospitalizados por insuficiência renal", disse Lipman no estudo. Neste ponto, o estudo menciona um triatleta do Boulder Colorado Ironman, de 40 anos, que morreu por insuficiência renal três dias depois de terminar a corrida.

Um corredor de resistência que costumava usar o ibuprofeno para regular sua própria dor, Lipman ficou surpreso com a extensão do impacto negativo da droga.

A solução

Se você é um atleta de ultramaratonas ou de resistência de qualquer tipo, considere tomar acetaminofeno (como Tylenol) em vez de ibuprofeno para alívio da dor e adicione um banho de gelo como uma boa medida. O próprio Lipman adicionou essas duas recomendações à sua rotina de recuperação - embora ele ainda aconselhe a moderação no uso do paracetamol.
E então, gostou da reportagem? Sou meio chato com essas coisas, porque sou daqueles que partem do princípio que nosso organismo sempre sabe o que faz, e, portanto, se ele nos faz sentir dor depois de correr 3 ou mais horas sem parar, há um motivo válido e necessário para isso.

É isso. Abraços e beijos a todos e até a próxima! mrgreen

Fonte: Competitor.com (adaptado por Coelho de Programa)

Leia mais sobre: maratona, ultramaratona, analgésico, ibuprofeno, paracetamol

Assine a NewsLetter do CoelhoDePrograma e não perca mais nenhum artigo!

Gostou da matéria? Comente logo abaixo! mrgreen

Copyright - Marcelo Coelho