Coelho Dizeres Computador
[X] Fechar

Já conhece a NewsLetter do CoelhoDePrograma? Clique aqui e assine!

Só demora 30 segundos para se cadastrar e você recebe nossas notícias por email!

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Correr rápido pode ser divertido!



segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019 - 09:22
kenyan children runningHá alguns anos, visitei a cidade de Iten, à beira do Vale do Rift, no Quênia. Um dia, enquanto estavam na pista de terra local, crianças da escola próxima desciam a colina, corriam juntas pela pista oval e brincavam dentro do campo. Raramente eu vi tanta alegria em movimento. Não havia pressão, nem estresse, nem agonia, apenas a necessidade de velocidade.

Você não precisa ir ao Quênia para testemunhar a diversão de correr rápido. Visite qualquer parquinho e você verá crianças correndo aqui e ali com alegria. Assista a um jogo de futebol infantil e aproveite os sorrisos e risadas que acompanham o voo pelo campo. Assista a uma corrida infantil numa estrada local e testemunhe a emoção e o prazer de se mover rapidamente e ir no seu limite.

Em contraste, os adultos corredores muitas vezes associam velocidade apenas com dor, disciplina e coragem. Embora haja um lugar para estes no processo de nos tornamos nossos melhores "eus", ir rápido não tem que ser temível. Na verdade, pode ser uma das melhores partes da corrida.

Aqui estão três estratégias para recuperar a diversão de ir rápido:

1) Concentre-se em voar

O primeiro elemento de velocidade que muitos de nós ignoramos é entrar em contato com a capacidade do nosso corpo de "voar". Crianças e corredores de elite fazem diferente. O competidor olímpico canadense Graeme Fell me disse uma vez que atinge sua velocidade máxima pelo menos uma vez por dia. Não importa qual é a sua velocidade máxima. Alcançá-la é ótimo e cria caminhos neuromusculares que tornam cada vez que você faz isso mais fácil.


Várias vezes por semana, depois de ter se aquecido em uma corrida, faça algumas acelerações: basta pegar o ritmo até que você esteja voando o mais rápido possível sem se estressar, então trote até se sentir pronto para fazer de novo. Aprecie a potência de seus quadris impulsionando suas pernas para trás, os passos rápidos, leves, dançantes e o vento em seu rosto enquanto você decola. Repita enquanto estiver achando divertido. Não é para ser abrupto, mas mover-se de forma suave, rápida e relaxada. Se você realmente quer se divertir, encontre um pedaço de grama macia, tire os sapatos e voe descalço.

2) Aumente prazerosamente

Adicione mais velocidade apenas à medida em que ganha força e capacidade neuromuscular. Mesmo os corredores que aumentam sua quilometragem gradualmente frequentemente vão direto para os treinos de velocidade, forçando-se através de um número definido de repetições e tentando atingir ritmos arbitrários. Não é de se admirar que a velocidade pareça difícil e que acabem lesionados.

Em vez disso, comece fazendo mais acelerações alguns dias. Um dia, quando se sentir bem, acelere por um quarteirão ou um par de postes. Adicione acelerações mais rápidas ou mais longas à medida que achar que quer ir mais longe e que está ansioso para levar sua força e velocidade para dar uma volta.

Em um dia em que você está se sentindo renovado, acelere só um pouco e deixe fluir por alguns quilômetros, curtindo quanto tempo você pode surfar nesse limiar onde precisa se concentrar, mas não está acumulando fadiga rapidamente. Outro dia faça isso nas subidas. Com um grupo, revezem-se na criação de corridas de diferentes distâncias no meio percurso: "Até o sinal de parada! Até a casa de barcos! Até a Quinta Avenida!"

Em suma, torne a velocidade natural e lúdica. Este é o Fartlek ("o jogo da velocidade" sueco), e alguns dos melhores do mundo usam-no como seu principal trabalho de velocidade. Joan Benoit Samuelson, medalhista de ouro olímpica e ainda forte aos 60 anos, diz que nunca teve um treinamento muito estruturado. "Eu sempre fui na base da improvisação", ela me disse. Para os treinos de velocidade nos dias de hoje, ela diz: "Tento fazer acelerações e às vezes aposto corrida com carros." O corredor olímpico Colleen DeReuck diz: "Em muitas das minhas sessões, gosto de fazer fartlek, para que eu possa ir pela percepção."

Deixe seu corpo te dizer quando estiver pronto para mais velocidade e distância. Vá em frente e incremente o ritmo e a distância, não tenha medo de se sentir desconfortável - desde que um desconfortável confiante, trazendo a habilidade desenvolvida para enfrentar uma tarefa desafiadora. Sempre pense: "Isso é difícil, mas sim, eu fiz".


Kelly Kruell, competidora da Lifetime que correu uma meia maratona para 1:24 como master e venceu a sua faixa etária USATF Cross Country de 2016, fala sobre trocar os treinos de pista por acelerações nas estradas ou grama, "Você numa corrida difícil apenas pelo prazer de correr dando duro. Porque é divertido."

3) Vire o relógio para baixo

Nada mata mais a alegria da velocidade do que quando mudamos nosso foco de movimento e esforço para tentar atingir os tempos. Desistir do relógio nos permite ter velocidade sem pressa, elimina a pressão e o estresse, mesmo quando estamos correndo num treino com distâncias conhecidas.

De Reuck diz: "Eu acho muita pressão, ir para o treino de pista, fazer repetições de 800 m e ter que controlar o tempo delas. Isso é muita pressão extra."

Como você saberá que está correndo rápido o suficiente ao desistir do relógio? Confie no esforço. Como seu corpo lida com a velocidade é o que determina a qualidade do treino no final, não se você atinge seu objetivo. A pesquisa mostrou que você corre mais economicamente se estiver relaxado, então você provavelmente entrará em um treinamento mais rápido quando não estiver indo para as repetições estressado. Além disso, se você está se divertindo, fará exercícios com mais frequência, não apenas quando está num programa de treinamento.

Quando você olha para o seu relógio, trate os números como informações (é como um 800 m em 3:30 se parece hoje) e afirmação (são cinco segundos por volta mais rápido do que eu fiz com o mesmo esforço duas semanas atrás). Lembre-se de que, com exceção de alguns treinos finais antes de uma prova quando você está aprimorando o pace, a maioria dos treinos não são testes de sua velocidade, mas sim ferramentas de treinamento para melhorar os sistemas do seu corpo. Julgar constantemente o seu potencial por ter atingido ou não os objetivos nas repetições é muitas vezes contraproducente e te esgota fisicamente e mentalmente.

Alguns corredores são hábeis em correlacionar os tempos de treino com a sua condição atual. Eles adoram a execução de treinos cronometrados e planejados, o feedback constante da pista e o observar o fluxo à medida que vão de um intervalo a outro. Se, no entanto, a velocidade do treino é algo que você teme, se você se encontra constantemente lutando e fracassando, ou estiver evitando os treinos de velocidade por medo, não se desespere. Ir rápido pode e deve ser divertido.
Traduzido do site Competitor.com

Fonte: Competitor.com (adaptado por Coelho de Programa)

Leia mais sobre: velocidade, corrida, fartlek

Assine a NewsLetter do CoelhoDePrograma e não perca mais nenhum artigo!

Gostou da matéria? Comente logo abaixo! mrgreen

Copyright - Marcelo Coelho