Parceiros
[X] Fechar

Já conhece a NewsLetter do CoelhoDePrograma? Clique aqui e assine!

Só demora 30 segundos para se cadastrar e você recebe nossas notícias por email!

[X] Fechar

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Coronavirus: o que o corredor precisa saber
Whats Email Mapa de imagens. Clique em cada uma das imagens

quinta-feira, 12 de maro de 2020 - 09:05
runner fluO primeiro caso de Coronavirus nos EUA foi confirmado em janeiro. Um homem de Washington foi um dos cerca de 125.000 confirmados com infecção pelo vírus desde dezembro. E, embora mais de 4.000 pessoas tenham morrido até agora, essa cepa mais recente é menos grave do que outras no ano passado, e existem várias maneiras de se proteger contra o vírus.

Para descobrir mais sobre o que é o Coronavirus e como se manter com a saúde em dia, conversamos com David Nieman, Dr.PH., professor de saúde da Appalachian State University e diretor do Human Performance Lab no North Carolina Research Campus, para saber o que os corredores precisam saber sobre o surto.

O que é o Coronavirus?

Existem sete tipos de Coronavirus conhecidos no mundo, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), que geralmente começam em animais como camelos e morcegos. Geralmente, esses Coronavirus não infectam seres humanos, mas três tipos mais recentes (SARS-CoV, MERS-CoV e 2019-nCoV) sim.

Pensa-se que a cepa de Coronavirus 2019-nCoV deste mais recente que se espalhou em dezembro de 2019 tenha se originado em cobras, de acordo com um artigo de pesquisa publicado no Journal of Medical Virology em 22 de janeiro. No entanto, o CDC afirma que ainda não se sabe por que certos Coronavirus se espalham para as pessoas e outros não. Esse surto mais recente teve origem em um mercado em Wuhan, na China, que vendia frutos do mar e animais vivos. (O governo chinês fechou o mercado desde então, informou o Business Insider).

Quais são os sintomas do Coronavirus?

A maioria dos Coronavirus causa infecções do trato respiratório superior, disse Nieman, que incluem sintomas como coriza, dor de cabeça, tosse, dor de garganta ou febre. No entanto, os Coronavirus mais graves, como SARS-CoV e MERS-CoV, podem levar a pneumonia ou bronquite, de acordo com o CDC.

Os sintomas de MERS-CoV normalmente incluem febre, tosse e falta de ar. Os sintomas da SARS-CoV normalmente incluem febre, calafrios e dores no corpo. Embora os casos humanos de MERS-CoV ainda ocorram - principalmente na Península Arábica -, não houve casos de SARS-CoV em nenhum lugar desde 2004, segundo o CDC.

Acredita-se que o Coronavirus 2019-nCoV seja menos grave que o SARS-CoV e o MERS-CoV, com pacientes relatando tosse leve e falta de ar, de acordo com a CNN.

O Coronavirus pode ser tratado?

Até agora, o novo Coronavirus 2019-nCoV infectou cerca de 125.000 pessoas e matou cerca de 4.000 pessoas. Atualmente, existe um total de 1.109 casos nos EUA. No entanto, atualmente não existem vacinas para prevenir contra o Coronavirus, nem tratamentos específicos para atingir esse objetivo.

"A maioria das pessoas com doença comum por Coronavirus humano se recuperará sozinha", afirma o CDC, mas você pode tomar medicamentos como a aspirina para aliviar seus sintomas. O CDC também recomenda tomar bastante líquido e descansar para ajudá-lo a se recuperar. E se você está preocupado com seus sintomas ou eles parecem estar piorando, consulte seu médico imediatamente.

Para evitar a contração do Coronavirus em primeiro lugar, o CDC recomenda tomar precauções como lavar as mãos com frequência, com água e sabão por pelo menos 20 segundos, não tocar o rosto com as mãos não lavadas e evitar contato próximo com qualquer pessoa doente.

"Os vírus são transmitidos pelas pessoas que espirram em suas mãos, tossem sem cobrir a boca e tocam maçanetas e teclados. Você toca essas coisas e depois toca nos olhos, nariz ou boca e isso se chama auto inoculação", disse Nieman. "Abandone o hábito de tocar seu rosto com as mãos. Principalmente em espaços lotados, como aviões ou trens, essas gotículas flutuam e você as respira e fica doente".

O CDC possui três níveis de alertas de viagem:
  1. Observar - Nível 1, pratique as precauções habituais

  2. Alerta - Nível 2, pratique precauções aprimoradas

  3. Aviso - Nível 3, evite viagens não essenciais
No momento, o CDC recomenda o nível 3 - evitando viagens completamente desnecessárias. Companhias aéreas como Delta, American e United suspenderam todos os voos para a China. Além disso, certas companhias aéreas internacionais fizeram o mesmo.

"As autoridades chinesas fecharam o transporte dentro e fora de Wuhan, incluindo ônibus, metrôs, trens e o aeroporto", afirma o CDC.

Devemos nos preocupar?

As pessoas com maior risco para o Coronavirus 2019-nCoV são as pessoas idosas ou muito jovens, de acordo com Nieman. Os corredores que estão treinando normalmente não precisam se preocupar mais do que as pessoas comuns, mas Nieman ressalta que os corredores que acabaram de terminar uma corrida longa, como meia maratona ou maratona, correm um risco maior.

"Em geral, para os corredores que estão realizando seu treinamento normal, e não treinando demais, o programa de treinamento aumenta a capacidade do sistema imunológico de detectar e lidar com patógenos. De fato, os corredores são menos propensos a adoecer com uma infecção do trato respiratório superior como o Coronavirus", disse Nieman.

"Corredores, assim como quem se exercita regularmente, geralmente têm menos chances de ficar doentes com esses tipos de infecções do que as pessoas sedentárias", acrescentou Nieman. A exceção? Aqueles que estão treinando demais ou que acabaram de completar uma corrida.

"Quando você chega ao pico do treinamento e/ou está no pós-prova, fica mais vulnerável à infecção", disse ele. "Por exemplo, depois de uma maratona, os corredores têm seis vezes mais chances de adoecer com uma infecção respiratória do que nas pessoas que não correram, porque em uma corrida você sempre se esforça mais do que nos treinos. Isso causa muito estresse ao seu sistema imunológico, o que aumenta o risco de uma infecção nas próximas semanas"

Como o Coronavirus está afetando as provas

A Maratona de Tóquio de 2020 foi realizada apenas para elites, inclusive os cadeirantes, em 1º de março. Os corredores amadores tiveram a opção de adiar sua entrada na corrida até 2021. Além disso, a Maratona da Grande Muralha de 2020, a Maratona de Roma 2020 e o Campeonato Indoor de masters da USATF de 2020 foram cancelados. A Maratona de Paris 2020 e o Campeonato Mundial de Meia Maratona 2020 em Gdynia estão adiados.

"A atual situação internacional teria comprometido seriamente o evento neste momento, já que muitos países estão restringindo as viagens internacionais, invocando quarentenas e aconselhando cidadãos e organizadores a evitar aglomerações", informou um comunicado divulgado pela World Athletics em 6 de março.

Em 2 de março, a Boston Athletic Association (BAA) divulgou um comunicado dizendo que a Maratona de Boston está "procedendo conforme o planejado" e continuará monitorando a situação.

Em 10 de março, o New York Road Runners (NYRR) cancelou a 2020 NYC Half.

"Devido à escala da prova durante esse período sem precedentes, os corredores que se inscreveram diretamente no NYRR serão contatados nos próximos dias com a opção de escolher um reembolso total de sua taxa de inscrição ou uma entrada não complementar garantida para a Meia de 2021 de NYC em março próximo (data exata a ser confirmada)", informou o NYRR em comunicado. "Os corredores que obtiveram entrada através de uma instituição de caridade ou operador turístico devem procurar diretamente a organização para obter as opções disponíveis."
Traduzido do site RunnersWorld.com

Fonte: RunnersWorld.com (traduzido por CoelhoDePrograma)

Leia mais sobre: coronavirus, doença, recuperação

Assine a NewsLetter do CoelhoDePrograma e não perca mais nenhum artigo!

Gostou da matéria? Comente logo abaixo! mrgreen

Copyright - Marcelo Coelho