Parceiros
[X] Fechar

Já conhece a NewsLetter do CoelhoDePrograma? Clique aqui e assine!

Só demora 30 segundos para se cadastrar e você recebe nossas notícias por email!

[X] Fechar

Seu nome:

Seu email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Os benefícios das variações de ritmo para o seu cérebro
Whats Email Mapa de imagens. Clique em cada uma das imagens

segunda-feira, 2 de maro de 2020 - 08:41
runner brainA associação entre exercício e saúde do cérebro está bem estabelecida neste momento, mas novas pesquisas descobriram que os benefícios variam, dependendo da intensidade da atividade. Tradução: Misturar diferentes intensidades, como adicionar alguns sprints às corridas mais longas, pode ajudar seus treinos a dar um impulso maior ao seu cérebro.

O estudo, publicado na revista Brain Plasticity, analisou 25 atletas do sexo masculino que passaram 30 minutos em uma esteira em baixa intensidade e 30 minutos em alta intensidade em dias diferentes. Antes e depois de cada sessão, as ressonâncias magnéticas funcionais (fMRI), que medem as alterações no fluxo sanguíneo que ocorrem durante a atividade cerebral, foram usadas para examinar a conectividade em regiões do cérebro ligadas a processos comportamentais específicos.

Embora as duas sessões tenham mostrado uma melhora no humor positivo, o exercício de baixa intensidade mostrou mais conectividade funcional relacionada ao processamento cognitivo e atenção, enquanto o treino de alta intensidade iluminou partes do cérebro relacionadas a processos emocionais.

Mais pesquisas precisam ser feitas, mas a coautora do estudo, Angelika Schmitt, M.Sc., do Functional Neuroimaging Group do University Hospital Bonn, na Alemanha, disse que o ciclismo é um bom passo para entender as mudanças dinâmicas na estrutura e função do cérebro durante o exercício.

Este estudo tem limitações, como um tamanho de amostra pequeno e curta duração do exercício. No entanto, este não é o único estudo recente a mostrar resultados interessantes quando se trata de alterar a intensidade do exercício.

Um estudo de 2019 da Universidade da Austrália do Sul, publicado no Journal of Science and Medicine in Sport, analisou a atividade cerebral de 128 participantes que fizeram exercícios no estilo HIIT e exercícios de baixa intensidade e duração mais longa.

Eles descobriram que ambos criaram mudanças benéficas nas conexões neurais, mas que a variação do ritmo poderia ter vantagens adicionais na liberação do cortisol, o hormônio do estresse responsável por sua resposta de luta ou fuga, quando você se exercita.

Em um comunicado de imprensa, a pesquisadora Ashleigh Smith, Ph.D., da School of Health Sciences da University of South Australia, disse que o cortisol é elevado em exercícios de alta intensidade, mas que níveis altos e contínuos podem bloquear as respostas neurais. "O treinamento intervalado pode permitir um ponto ideal para as taxas de cortisol voltarem aos níveis normais", disse ela. Se seus níveis de cortisol subirem demais e permanecerem altos, isso poderá levá-lo a risco de problemas de saúde, como ganho de peso, doenças cardíacas, problemas digestivos, dores de cabeça e problemas para se lembrar ou se concentrar, de acordo com a Mayo Clinic.

Essa estratégia de alta-baixa intensidade também tem potencial para melhorar a recuperação. Outro estudo de 2019 com ciclistas descobriu que o treino de alta intensidade variável, que era uma série de sprints de bicicleta intercalados com momentos de baixa intensidade, era significativamente melhor para a recuperação pós-treino do que fazer exercícios de intensidade moderada pela mesma quantidade de tempo. O mesmo pode ser dito para o desempenho e recuperação na corrida, também.

A conclusão desses estudos recentes parece ser que vale a pena variar o treino quando se trata de intensidade. Portanto, na próxima vez que você correr, considere um favor tanto para o cérebro quanto para o corpo colocar alguma atividade variando entre forte e fraca em seu treinamento.
Traduzido do site RunnersWorld.com

Fonte: RunnersWorld.com (traduzido por CoelhoDePrograma)

Leia mais sobre: sprint, intervalado, cérebro, intensidade

Assine a NewsLetter do CoelhoDePrograma e não perca mais nenhum artigo!

Gostou da matéria? Comente logo abaixo! mrgreen

Copyright - Marcelo Coelho